CDL INFORMA

NOTÍCIAS

13/09/2018 15:28    -   Atualizado em   13/09/2018 17:37

Policial militar fica ferido e dois suspeitos morrem em confronto

  • Fonte: Juína News com Assessoria
Foto: Divulgação

Um policial militar foi atingido por um tiro, dois suspeitos morreram e um ficou ferido em confronto ocorrido na madrugada desta quinta-feira(13.09), na cidade de Primavera do Leste(245 km de Cuiabá).

A ação ocorreu por volta da 1h, após militares do 14º Batalhão terem sido acionados pela Polícia Civil para abordagem de suspeitos que teriam praticado crimes e estariam planejando ataques outros delitos. Os ataques seriam vingar a morte de um integrante da quadrilha, morto dias atrás.

Os PMs foram até uma residência no bairro Padre Hernesto Costa, na casa onde estariam os procurados. Os policiais se dividiram, um grupo chegou pelos fundos e outros pela entrada social. O soldado Reginaldo Balieiro foi o primeiro a avistar e dar voz de prisão a um dos suspeitos, mas o homem não se rendeu, ao contrário, atirou no policial atingindo-o na parte superior direita do tórax.

A partir dessa situação, ocorreu um tiroteio entre os policiais, esse primeiro suspeito e outro que estava na casa. Dois homens morreram: Marcos Antônio Vieira de Oliveira, 22, conhecido por “Cebola”, e Luiz Victo de Sá Cruz Silva, 20, ‘Vitão”. O terceiro suspeito, Arlon Dias da Silva, 23, “Bode”, ficou ferido, sem risco de morte.

A bala que atingiu o soldado Balieiro não transfixou o colete balístico e causou-lhe lesão leve. Outras duas pessoas que estavam na residência, um homem e uma mulher, foram detidas.

Com os suspeitos foram apreendidos dois revólveres calibre 38 com duas munições deflagradas e outras duas percutidas e não deflagradas. Também foram apreendidos sete celulares e dois tablets.

Essa ação teve início a partir de duas ocorrências registradas pela Polícia Civil, uma de invasão de residência e ameaças de morte e outra de denúncia sobre ataques em órgãos públicos e empresas que ocorreriam na cidade por ordem de membros de uma facção criminosa. Os ataques seriam represália à morte de um homem conhecido por “Vitinho”, ocorrida semana passada. Na denúncia são citados nomes de mandantes, líderes da facção que estão presos, e de suspeitos que moram no endereço onde ocorreu o confronto.

Comentários

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Comentar