CDL INFORMA

NOTÍCIAS

07/08/2018 08:16

PM de Juína conduz à delegacia estagiária que transferiu dinheiro indevidamente de contas de clientes para a sua conta e de familiares

  • Fonte: Juína News
Foto: Reprodução

Um crime praticado por uma estagiária foi descoberto rapidamente por um gerente da agência da Caixa Econômica Federal da cidade de Juína, noroeste do estado. A adolescente de 16 anos que teve a oportunidade de iniciar uma vida profissional numa instituição financeira de grande porte fazia transferências bancária indevidamente para sua conta. Vários clientes foram alvos da menor.

O caso foi registrado na quinta-feira, dia 2, na delegacia de polícia.

Entenda o caso

A guarnição da Polícia Militar foi acionada pelo gerente da caixa econômica federal, para atender uma ocorrência sobre uma menor estagiária que supostamente estava fazendo várias transferências de conta de clientes da agência para sua conta pessoal e de familiares.
A menor H. K. M. G de 16 anos começou a estagiar na agência da caixa em março deste ano, e realizou alguns saques de contas de clientes com os cartões e senhas dos mesmos.

A jovem chegava a realizar saques de até um mil e quinhentos reais por dia de várias contas de clientes.

Com um salário de R$ 630,00, (remuneração do seu estágio) ela chegava a realizar saques de até R$ 1.500.00 (um mil e quinhentos reais) por dia de várias contas de clientes, o que chamou ainda mais a atenção.

No boletim de ocorrências confeccionado pela PM, consta que os saques e transferências começaram a ser efetuados a partir do mês de maio, onde não se sabe como a suspeita conseguiu a senha do gerente da agência e efetuava as transações com facilidades.

Na conta da suspeita H.K. M. G. foi movimentado mais de R$ 100.000.00. Sendo que de uma única vez a garota efetuou uma transferência de R$ 30.000.00, uma de R$ 3.000.00 e outra de R$ 4.000.00 da conta do senhor A.G, para sua conta, e em outra data efetuou mais uma transferência de R$ 20.000.00. Dessa vez a conta que recebeu o dinheiro foi do senhor M.C, onde a suspeita havia feito alguns saques.

A agência passou a desconfiar da movimentação na conta da suspeita e a chamou para uma conversa esclarecedora, foi onde a mesma disse que o senhor Ademir havia comprado uma grade de arar terra do seu pai e que o dinheiro era o pagamento.

Desconfiado das contradições, o gerente então chamou a Polícia Militar e solicitou que o suposto cliente apresentasse seus documentos de identificação aos policiais, e para a surpresa de todos não se tratava do senhor Ademir, e sim de Luiz Balbino de Araujo, 38 anos, vulgo “Velho Dante”, que havia recebido uma transferência no valor de R$ 2.000.00 que saiu da conta de um cliente para a conta dele, onde o mesmo confessou que o valor recebido tratava-se de um pagamento da venda de uma motocicleta.

Durante o registro da ocorrência, o gerente da agência não soube informar com precisão exata os valores e nem o nome dos clientes que tiveram suas contas invadidas pelas suspeita, pois na hora em que houve a acareação e o flagrante da policia a agência encontrava-se fora do horário de expediente, e todos os documentos de provas como: extratos, imagens e gravações estavam em um cofre da agência que só poderia ser verificado em horário de expediente normal, porém alguns dos clientes lesados ainda não haviam percebido o desfalque em suas contas, pois há indícios de que a suspeita movimentou outras contas também.

Aos policiais, o senhor Luiz relatou que acompanhou a suspeita até a agência e se fez passar por outra pessoa, por ser amigo da suspeita, mas que desconhecia as ações da mesma dentro da agência.

Diante dos fatos ambos foram levados até a delegacia municipal e entregues a autoridade de plantão para que sejam tomadas as medidas cabíveis.

Por ser menor de idade H. K. M.G foi acompanhada de sua genitora.

A estagiária foi demitida do banco, e deverá responder ato infracional por estelionato.

Comentários

Carla 14 / Ago / 2018 - 16:44
Jhessyca Paola, minha querida o termo utilizado "lesado" se trata das pessoas que foram vítimas da menor infratora, não quer dizer que essas pessoas estão sendo tratadas por diminutivos ou algo parecido não.
Jhessyca Paola 10 / Ago / 2018 - 02:06
Desnecessário chamar clientes de lesados só por não terem percebido antes, ninguém imagina q vai ser roubado e ficar olhando direto o saldp
Marcia 07 / Ago / 2018 - 14:22
Se a CEF colocasse para trabalhar pessoas concursadas não daria nisso, passamos no concurso da Caixa em 2014 e nada de contratação até agora, ao invés disso a Caixa prefere colocar mão de obra barata e sem grandes responsabilidades, porém dá acesso ao menor estagiarei senhas de gerentes! Enquanto isso pessoas que foram aprovadas no concurso estão aí desempregadas!
Alcir 07 / Ago / 2018 - 13:49
Não dá pra confiar em ninguém, na verdade ela saber a senha do gerente não dá pra engolir, o banco perdeu credibilidade comigo , se uma adolescente consegue isso , imagine um profissional esvazia as contas de todos !!

Comentar