CDL INFORMA

NOTÍCIAS

08/06/2018 09:42

Exoneração de promotor que surtou, xingou e agrediu policiais é mantida

  • Fonte: Arthur Santos da Silva, repórter do GD
Foto: Reprodução

O Colégio de Procuradores de Justiça do Ministério Público de Mato Grosso (MPE-MT) manteve a exoneração do promotor Fábio Camilo da Silva, que surtou em julho de 2017 e discutiu com policiais militares que tentaram abordá-lo após suspeita de embriaguez ao volante.

A decisão, por maioria dos votos, foi estabelecida em reunião realizada nesta quinta-feira (7). Recurso de Fábio buscava suspender decisão inicial. O procedimento levantou também a possibilidade da exoneração ser convertida em aposentadoria compulsória. A votação contou com 22 manifestações contrárias ao requerimento.

O membro do órgão ministerial era lotado em Guarantã do Norte (715 Km ao norte de Cuiabá) e foi interditado. Segundo informado, Fábio permanece diagnosticado com transtorno afetivo bipolar, sendo considerado incapaz de exercer permanentemente seu cargo no órgão ministerial.

A exoneração foi determinada levando em conta que os problemas foram diagnosticados há mais de 10 anos, antes de Fábio se tornar servidor do MPE. Os fatos envolvendo policiais ocorreram em uma rodovia nas proximidades de Peixoto de Azevedo (691 Km ao norte de Cuiabá). Além da discussão, pesa contra ele acusações de várias outras infrações disciplinares.

Anteriormente, Fábio Camilo também foi acusado de infringir outras normas ao assediar uma promotora, prender um homem por suposta embriaguez, ter faltado a audiências por estar na cidade de Chapada dos Guimarães (sem prévio aviso), oferecer garrafas de whisky para um juiz durante audiência, agredir um adolescente infrator e atropelar um deficiente físico quando estava visivelmente embriagado, chamando a vítima de “preto nojento”.

Guarantã do Norte

Em 1º de julho de 2017, o recém-empossado promotor de Justiça de Guarantã do Norte, Fábio Camilo da Silva, foi acusado de ameaçar hóspedes de um hotel da cidade e jogar água em um deles. Já na parte da manhã, o suspeito ainda teria quebrado o vidro de uma emissora de TV do município.

Antes, o promotor envolveu-se em confusão com a Polícia Militar, em uma rodovia nas proximidades de Peixoto de Azevedo. O membro do Ministério Público Estadual estaria alcoolizado e desafiou o policial que o abordou, arrancando-lhe o boné da cabeça e também o enforcando. À época, ele não foi preso por possuir prerrogativa de foro.

Comentários

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Comentar