CDL INFORMA

NOTÍCIAS

10/05/2018 15:03

Indivíduos que aplicavam golpe do envelope vazio são presos

Os 13 comprovantes bancários apreendidos, totalizando R$ 64,2 mil, seriam para compra de carros.

  • Fonte: Juína News com Assessoria
Foto: 4ºBPM/MT

Duas pessoas foram presos nesta quarta-feira (09.05), às 20h45, ainda na agência do Banco Bradesco II, na Avenida Couto Magalhães, em Várzea Grande, aplicando o golpe do envelope vazio. Com D.H.D., 20 anos, e B.S.S.B., 23, foram apreendidos 13 comprovantes de depósitos falsos, totalizando R$ 64,2 mil, em nome de três vítimas. A intenção era comprar veículos em garagem. Em outro caso registrado na cidade, uma mulher caiu no golpe de hospedagem mais barata.

O Ciosp acionou a polícia militar do 4º Batalhão para averiguação de uma denúncia de que dois indivíduos estavam na agência em atitude suspeita. Na abordagem os policiais encontraram os comprovantes de depósito bancário em nome de D.A.S.P., (25.000,00), B.C.M.S., (24.200,00) e de C.V.M.S. (15.000,00). Os suspeitos confessaram ser depósitos falsos e a finalidade dos mesmos.

No celular Samsung do suspeito B.C.M.S. havia uma conversa no Whatsapp onde um indivíduo de nome “Tuche” passa as contas correntes para que sejam depositados os valores. O tal indivíduo não foi localizado. A equipe policial também não conseguiu contato com os nomes descritos nos comprovantes.

Eles estavam em uma motocicleta Honda CG 150 preta, que pertence ao pai de um dos suspeitos, e que foi encaminhada para o pátio do Detran pelo motivo de conduzir o veículo sem a Carteira Nacional de Habilitação. Diante da situação, ambos foram apresentados na Central de Flagrantes, com algemas por receio de fuga.

Estelionato

M.B.S.S., de 37 anos, também caiu em um golpe em Várzea Grande. Ela entrou em contato com uma pessoa que seria funcionária do Sesc Pantanal, que sua amiga teria lhe passado, pois esta tinha hospedagem mais barata. Por meio do aplicativo Whatsap  manteve conversa que acabou lhe convencendo e ela depositou R$ 150,00 na conta da suposta funcionária. Após a transferência bancária, a vítima resolveu ligar no Sesc Pantanal onde foi informada que entrou num golpe, pois a empresa não teria nenhuma pessoa com o nome apresentado.

 

Comentários

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Comentar