CDL INFORMA

NOTÍCIAS

12/02/2018 15:04

Temer anuncia força-tarefa para cuidar do fluxo migratório de venezuelanos em Roraima

Ele afirma que medida provisória sobre o assunto será editada até quinta-feira (15) e que não faltarão recursos para solucionar o problema. Ministro Raul Jungmann disse que efetivo na fronteira será dobrado, instalação de hospital de campanha e centro de

  • Fonte: G1
Foto: Reprodução

O presidente Michel Temer (PMDB) disse nesta segunda-feira (12) que vai criar uma força-tarefa para lidar com a imigração em massa de venezuelanos para Roraima. Durante discurso, feito em reunião em Boa Vista, Temer disse que será feito um comitê de acompanhamento, com uma coordenação nacional para lidar com a questão. G1 acompanha em tempo real.

Em discurso, o presidente falou sobre os impactos da imigração desordenada de venezuelanos para o estado, afirmou que deve editar uma medida provisória sobre o assunto até quinta-feira (15) e que vai garantir recursos para o estado.

"Será uma coordenação federal em conjunto com estado para solucionar essa questão que aflige Roraima e todo o território brasileiro. Para tanto, quero editar talvez na quarta, ou no mais tardar na quinta, uma MP que tratará desse assunto. Não faltará recursos para solucionar essa questão dos venezuelanos tanto no aspecto humanitário como a solução pro estado de Roraima", declarou o presidente.

O presidente também disse que a ideia é levar os imigrantes que estão em Roraima a outros estados brasileiros. "Vejo que esse afluxo intenso de venezuelanos cria problemas para o estado de Roraima e vai criar para outros estados brasileiros se não tomarmos algumas medidas e providência de natureza federal".

O encontro ocorreu no Palácio Senador Hélio Campos, sede do governo de Roraima, e reuniu os ministros Raul Jungman (Defesa), Torquarto Jardim (Justiça), Moreira Franco (Secretaria-geral da Presidência), e o general Sergio Etchegoyen (GSI).

Após o discurso do presidente, o ministro Raul Jungmann disse que as Forças armadas vão duplicar os postos de controle no interior de Roraima, particularmente, entre Pacaraima e Boa Vista, que um hospital de campanha será deslocado à fronteira, e que serão construídos centros de triagem em conjunto com municípios e governo.

"Se o problema é fisicamente localizado em Roraima, ele é um problema nacional, e o presidente entendeu que nesse sentido teremos uma coordenação da ação humanitária federal que ficará ao encargo das Forças Armadas", declarou.

Também participaram da reunião a governadora de Roraima Suely Campos (PP), a prefeita da capital Teresa Surita (PMDB), o senador Romero Jucá (PMDB), Juliano Torquato (PRB), prefeito de Pacaraima - cidade na fronteira -, deputados, secretários e demais autoridades locais.

Comentários

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Comentar