CDL INFORMA

NOTÍCIAS

10/11/2017 14:50

Programa "Agora, é Avançar" de Temer prevê R$ 2,7 bi em 234 obras no Estado

  • Fonte: RDNews
Foto: Da Redação

Programa “Agora, é Avançar”, lançado pelo governo federal nessa quinta (9), prevê a conclusão de 234 obras em Mato Grosso, com investimento de R$ 2,7 bilhões, entre elas, creches, escolas, moradias, unidades básicas de saúde, quadras poliesportivas e cidades digitais. Estão previstos ainda esgotamento sanitário, pavimentação, drenagem e abastecimento de água em zonas rurais.

O programa tem o objetivo de concluir 7.439 obras que estão paralisadas em todo o país. No total, os investimentos somam R$ 130 bilhões e os empreendimentos têm prazo de entrega até o final de 2018. Em todo o país, as obras estão presentes em mais de 3 mil municípios, que envolvem desde a conclusão de creches e unidades básicas de saúde até a finalização de hidrovias. Todas as regiões serão beneficiadas. O Nordeste terá o maior número de obras: 3.186, com investimentos de R$ 19 bilhões. 

Dois critérios foram levados em consideração a garantia de que as obras terão recursos financeiros necessários para serem concluídas; e o compromisso de que serão entregues até dezembro de 2018. O resultado trará melhorias de vida ao cidadão, promoverá o dinamismo à economia e evitará o desperdício de recursos públicos. 

São três fontes de recursos: R$ 42,1 bilhões do orçamento geral da União; R$ 29,9 bilhões da Caixa Econômica Federal, do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social); R$ 58,9 bilhões de empresas estatais do setor de energia, em especial a Petrobras. 

A coordenação do programa está sob a responsabilidade dos ministros Moreira Franco, da secretaria Geral da Presidência da República, e Dyogo Oliveira, do Planejamento. O “Agora, é Avançar” é um programa integrado de mais 11 ministérios: Cidades; Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações; Cultura; Defesa; Educação; Esporte; Integração Nacional; Minas e Energia; Saúde; Transportes, Portos e Aviação Civil; e Turismo. 

Comentários

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Comentar