CDL INFORMA

NOTÍCIAS

15/07/2017 12:49

Investigações levam a prisão de traficantes em Brasnorte

  • Fonte: Juína News com assessoria

Dois homens e uma mulher foram conduzidos a Delegacia da Polícia Judiciária Civil acusados de tráfico de drogas, na cidade de Brasnorte (579 km a Noroeste), durante investigações que culminara na operação "Expresso", realizada na quinta-feira (13.07).

Os suspeitos Jorcilei Batista, 46 anos, conhecido por "Madruga", e Robson Soares, 27, o "Bo", foram presos em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico. A mulher, A.L.M, 27, respondeu termo circunstanciado de ocorrência de  uso de drogas.

A investigações referência ao comércio de drogas promovido na cidade, iniciada em janeiro deste ano, apontaram para o suspeito Jorcilei Batista, que vinha atuando na distribuição de entorpecentes na modalidade "disque-drogas".

No começo de junho, os policiais desencadearam a primeira fase do trabalho, coordenado pelo delegado Waner dos Santos Neves, sendo concluído na última quinta-feira (13), com prisão em flagrante dos três envolvidos, com porções de cocaína e maconha.

Os traficantes foram abordadoa por equipes policiais da Delegacia de Bransnorte, apoiados por policiais civis e militares de Sapezal, a 5 quilômetros do posto de fiscalização de Brasnorte, no sentido Campo Novo dos Parecis. Os suspeitos estavam  em um veículo que furou a barreira policial em alta velocidade.

Naquela ocasião, os policiais souberam pela mulher, que o traficante havia jogado pela janela do veículo um pacote de drogas, da qual não soube informar a quantidade. Uma varredura pelo trecho foi realizada, mas o entorpecente não foi encontrado.

Em continuidade aos trabalhos, os policiais realizaram buscas na casa do traficante "Madruga", local onde supostamente centraliza o comércio de drogas. Na residência, os policiais apreenderam porções de cocaína e sacolas plásticas usadas na embalo da substância, cadernos de anotações das finanças do tráfico e ainda produtos trocados por entorpecentes como TV, caixa de som e maquita.  

A droga era vendida em pequenas porções, para dificultar ser apreendida pela Policias, e ficavam escondidas  em furos nos tijolos da construção ao lado da casa.

 

Comentários

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Comentar