CDL INFORMA

NOTÍCIAS

14/07/2017 00:32

Júri condena homem a 19 anos e 10 meses de prisão por matar mulher a tiros em Juína

  • Fonte: Juína News
Foto: Juína News

O homem acusado de assassinar Lindalva Barra de Souza, 52, em fevereiro do ano passado, no bairro São José Operário, em Juína/MT foi condenado, nesta quinta-feira, dia 13, à noite, a 19 anos e 10 meses de reclusão em regime inicial fechado, sem direito de recorrer em liberdade. O julgamento ocorreu no Fórum da cidade.

João de Araújo Damasceno, vulgo " Cawboy", foi declarado culpado pelo crime de homicídio qualificado por motivo torpe, dissimulação e recurso que dificultou a defesa da vítima.

O Júri popular foi presidido pelo Juiz Vagner Dupim Dias, e teve como representante do Ministério Público Estadual, o promotor criminal Danilo Preti Vieira, assistente de acusação Dra. Haline Turino e advogado de defesa.

Durante a sessão, um dos depoimentos mais aguardados foi do neto da vítima que tinha 12 anos no dia do crime, ele presenciou no momento em que sua avó foi morta com 5 tiros.

O julgamento que teve iniciou às 9h, onde foram ouvidas testemunhas, seguido dos debates com 1h30m para MPE e defesa, réplica e tréplica, e encerrou pouco mais das 22h30, com a leitura da sentença.

A maioria do corpo de jurado acatou a tese sustentada pelo Ministério Público de se tratar de um homicídio qualificado e condenou o réu em 19 anos e 10 meses de prisão.

Ele foi levado novamente ao CDP da cidade e deverá progredir de pena somente em 2024.

Relembre o caso

O homicídio ocorreu no dia 28 de fevereiro de 2016, por volta das 23 horas. A mulher foi morta em seu estabelecimento comercial denominado de Bar Pérola em frente à praça do bairro. Segundo a denúncia, Lindalva estava no bar quando o acusado chegou e efetuou cinco tiros, sendo que dois atingiram a cabeça e três o tórax, em seguida ele fugiu.

Ele chegou a ser apresentar a polícia, mas foi liberado para responder em liberdade, depois foi preso por possuir mandado de prisão em aberto.

O crime deixou a cidade de Juína e principalmente o bairro perplexo por se tratar de uma pessoa querida e admirada por todos.

Familiares de Lindalva negaram que ela tinha um relacionamento amoroso com Cawboy.

Comentários

Patrícia 14 / Jul / 2017 - 08:02
Justiça foi feita. Não vai trazer minha tia de volta mais acalma um pouco os corações de uma família inteira destruída pela maldade desse infeliz.

Comentar